Cadastre-se grátis
Receba novidades do CADguru: [x] Fechar
Prefere as mídias sociais? Acompanhe o CADguru:

Elementos do molde de injeção: contração do produto injetado

Postado em: 23/05/2016 Nenhum comentário

Neste artigo, ao invés de falarmos de um elemento físico que compõe o molde de injeção, vamos conhecer uma característica técnica de projeto da ferramenta em questão: alguns aspectos de definição que chamamos de contração ou encolhimento do material injetado.

Quando se fala em contração ou em encolhimento, temos a diferença entre as dimensões da peça injetada, após alcançar o equilíbrio térmico em temperatura ambiente, e o tamanho da cavidade em que a peça foi moldada, esta é a principal característica desse fenômeno.

Contração do Produto

Esta propriedade é característica de todos os materiais que ao contrário da dilatação, ao serem esfriados se contraem ou encolhem, resultando num produto final menor que o molde original. Assim, o tamanho do molde a ser confeccionado a partir das dimensões do projeto, deve levar em consideração a contração do material.

COntração na injeção

Fique atento

Na produção de peças de material plástico a contração é muito importante, devendo ser atentamente considerada, pois refletirá nas dimensões do produto moldado, além de influenciar sobre os seguintes itens importantes da injeção:

  • A solidez que a contração pode provocar, em pontos do produto com espessuras distintas, tensões que podem causar rachaduras, rupturas, etc. Devido à instabilidade dimensional, a contração pode não ser uniforme em toda a superfície da peça moldada, causando empenamentos e deformações. Isto acontece geralmente em peças que têm diferentes espessuras em várias partes, as quais consequentemente, não sofrem contração uniforme.
  • Inserto de partes metálicas, onde a contração do metal é diferente da do plástico. Este, ao resfriar-se, pode contrair duas a cinco vezes mais que os metais. Consequentemente, a força desta contração agindo sobre o metal, que tem maior resistência mecânica, poderá provocar o rompimento do plástico;
  • As tolerâncias dimensionais obtidas de acordo com o coeficiente de contração dos plásticos nem sempre são constantes, pois dependem de diversos fatores, tais como: inconstância das propriedades das matérias-primas empregadas em sua preparação, variações das fases do processo de fabricação, cujo controle exato nem sempre é possível, condições de moldagem, etc. As tolerâncias médias adotadas para determinar as dimensões de uma peça a ser moldada com material plástico não devem ser inferiores a um certo limite dado.
  • A modificação de dimensionar dos produtos onde depois de extraídas, as peças, que ainda não se encontram em um estágio totalmente frio, terão o seu resfriamento completo à temperatura ambiente, continuando assim a contração, aumentando ou diminuindo as dimensões do molde, conforme o coeficiente de contração ou dilatação do material a ser processado.

Ao criar projetos de injeção, devemos nos atentar a muitas outras características de criação dessa ferramenta, pois além dos componentes físicos que compõem a montagem, muitos outros dados e técnicas devem ser empregadas nos projetos.

Bom trabalho!

Este é o 12º artigo da nossa série sobre Elementos do molde de injeção. Confira abaixo os artigos anteriores:

:: Elementos do molde de injeção: conheça a placa base inferior
:: Elementos do molde de injeção: conheça a placa base superior

:: Elementos do molde de injeção: bucha de injeção
:: Elementos do molde de injeção: buchas de guia

:: Elementos do molde de injeção: anel de centragem
:: Elementos do molde de injeção: pinos extratores do produto

:: Elementos do molde de injeção: placa suporte
:: Elementos do molde de injeção: colunas de guia

:: Elementos do molde de injeção: placa porta postiço superior
:: Elementos do molde de injeção: batente ou tope

:: Elementos do molde de injeção: cavidades e postiços machos

Gostou? Então aproveite para conhecer nossos cursos gratuitos de CNC.

Sobre o autor:

Rafael Mascarenhas Projetista de ferramentas e Programador de máquinas CNC há mais de cinco anos. Ambas as funções realizadas com auxílio de softwares de CAD e CAM, tais como SolidWorks, NX, AutoCAD, SolidCAM, EdgeCAM, entre outros. Cursando ensino superior em Engenharia Mecânica.
Leia mais

Leia também

Comentários (0):