Cadastre-se grátis
Receba novidades do CADguru: [x] Fechar
Prefere as mídias sociais? Acompanhe o CADguru:

Utilizando Layers no AutoCAD 2013

Postado em: 18/12/2013 Nenhum comentário

Neste artigo, iremos abordar aspectos de como trabalhar com Layers dentro do AutoCAD 2013 utilizando a Interface Nova e também a Interface Clássica. Separamos em duas categorias para explicar com mais detalhes cada uma delas, afinal, algumas pessoas optam por um ou outro modelo de interface.

História e a importância de Layers em Projetos

Os uso de Layers tem origem bem antes do uso do próprio AutoCAD. Existiam pessoas que montavam seus projetos de maneira um pouco informal, mas eficaz. Um projeto profissional feito a mão e com muitos detalhes contém muitas informações que para algumas pessoas são desnecessárias ou até mesmo embaraçosas. Por isso, esses desenhistas faziam dois processos.

O primeiro processo era fazer com que parte de desenho ficasse dentro de um prancha em papel branco ou papel azul (Nos Estados Unidos, era comum utilizarem os BluePrints), onde detalhavam todo o processo de representação gráfica dos processos construtivos sem que os mesmos precisassem dos elementos de textos e outros detalhes.

Blue prints usados para fazer projetos

Blueprints, papéis comumente usados para desenhar projetos

No segundo processo eles colocavam uma outra folha mais transparente que a de baixo, fazendo duas camadas do mesmo projeto. Neste processo, era preenchidos todos os textos, cotas e informações que complementassem os desenhos de baixo. Por fim, eram duas folhas: a primeira contendo apenas os desenhos e a segunda contendo todos os textos e chamadas dos elementos. E aí começaram a ver a versatilidade de montar projetos com duas camadas, onde quem quisesse ver apenas os desenhos não precisava colocar as camadas extras. Existiam ainda pessoas que faziam ainda mais camadas, conforme a necessidade.

Essa história é bem verídica, pois meu pai foi engenheiro civil e havia um Centro Heliográfico (processo de cópias tipo xerox por heliografia) em seu escritório. Ele prestava serviços de plotagem com esta tecnologia na época e eu trabalhava neste setor, sempre tínhamos plotagens heliográficas com várias camadas.

Processo de cópias tipo xerox por heliografia

Processo de cópias tipo xerox por heliografia

E assim, quando foram introduzidas as maneiras de se trabalhar com projetos de desenhos técnicos através do computador, as camadas foram introduzidas como ponto forte para representar estes desenhos técnicos. Atualmente, os Layers têm um papel fundamental para que um projeto fique bem estruturado e representado. O usuário final ainda tem as possibilidades de escolher o que quer ver, mediante uma conversa ou um pedido do usuário final para o projetista que confeccionou as pranchas e elementos do projeto.

Então, se o projetista não se preparar para criar corretamente esses Layers, ele poderá passar por apuros caso alguém peça para ele: “Oi, por favor, encaminha a planta baixa apenas com representação das paredes e das hachuras…”, ou até mesmo, “Preciso urgente que você entregue o projeto apenas com as cotas e a planta baixa. Sem as representações de vasos, móveis, hachuras e outros…”.

E aí José? O que fazer em uma hora dessas? Lógico que poderá fazer de outras maneiras, mesmo que leve muito mais tempo para você confeccionar o que estão lhe pedindo. Essa maneira é na marra! Veja dois exemplos abaixo, onde mostro pra vocês duas situações, onde na primeira o desenhista cria a planta baixa apenas utilizando um tipo de Layer com um tipo de cor. E a segunda. o mesmo projeto só que com os Layers definidos e aplicados corretamente em cada tipo de desenho dentro do AutoCAD:

Interface Nova:

Layers sem definições interface nova do AutoCAD

Layers sem definições interface nova do AutoCAD

Interface Clássica:

Layers sem definições da interface clássica do AutoCAD

Layers sem definições interface clássica do AutoCAD

E nestas imagens acima, vocês podem perceber que se a pessoa decidir NÃO criar layers poderá ter um trabalhão para concretizar o pedido do cliente ou patrão. Visto que ela deverá interpretar as representações, selecionar cada parte do que ela quer eliminar ou mover (pode mover 500 unidades para esquerda e depois voltar 500 unidades para a direita) e assim conseguir mandar imprimir com os detalhes mais resumidos.

E há casos também que a pessoa que não cria layers, mas utiliza apenas cores diferentes. Nestes casos, o que normalmente acontece é criar um filtro para que a pessoa selecione apenas determinada cor e possa movê-la da mesma forma que é mostrada no exemplo acima. Esta é uma maneira rápida de preparar uma prancha mais simples, mas o que não é conveniente neste caso é que as cores sirvam mais para determinar espessuras para quem vai plotar seus projetos.

O importante de criar Layers, então, é que você utilize este recurso dependendo de sua necessidade de projeto. Por exemplo:

1 – Se você for trabalhar com projetos de desenhos técnicos na área da Mecânica, pode ser que utilize Layers comuns com estes nomes:

  • Parafusos 3/8″ – Parafusos Marca SpiderCop – Equipamentos Metálicos – Equipamentos de Plásticos – Engrenagem 8 Dentes – Engrenagem 23 Dentes…

2 – Se for trabalhar com projetos de desenhos técnicos na área de Arquitetura e Construção:

  • Paredes – Acabamentos – Caixilhos – Carros – Corrimão – Cotas – Eixos – Equipamentos – Escada – Forro – Grades e Quarda-Corpo – Hachuras – Indicação de Janelas – Indicação de Níveis – Indicação de Portas – Indicação de Corte – Indicação de Elementos – Linha de Corte – Louças e Metais – Mobiliário – Paisagismo – Pisos – Portas – Pranchas – Projeções – Telhado – Terreno – Textos…

3 – Ou se você for trabalhar com projetos de desenhos técnicos na área da Indústria:

  • Peça X – Ferrolho da Parapimboca – Centelhas – Soldas – Solda GIMP – Parafusos – Engrenagens – Materiais – Carrinho Transportador – Pessoas – Faixas de Segurança – Elementos Primários – Fios – Eletricidade – Barramentos – Fusíveis – Coberturas – Tipos de Valas…

4 – Ou se você for trabalhar com projetos de desenhos técnicos na área de Estruturas de Concreto Armado e Estruturas Metálicas:

  • Viga 10×15 – Viga 30×40 – Viga 60×100 – Vigas Horizontais – Vigas Verticais – Pilar 20×30 – Pilar 30×60 – Pilar Isolado – Pilar de Canto – Pilar de Intermediário – Sapata Isolada – Sapata Contínua – Sapata Alavanca – Cobertura Metálica – Vigas Treliçadas – Vigas Metálicas – Elementos Vazados – Parafusos de Fixação – Zona de Segurança – Escadas – Caixa D`água – Sistema Hidráulico – Sistema Elétrico – Arquitetura – Representação Básica – Linhas de Indicação – Textos – Terreno – Bueiros – Esgoto – Linhas de Transmissão – Linhas Paralelas – Barramentos – Lajes de Forro – Lajes de Piso – Lajes Protendidas – Lajes Nervuradas…

Veja que cada necessidade tem suas peculiaridades e dependendo do setor que você trabalha pode haver mais e mais detalhes que fazem com que cada projeto tenha seus próprios Layers.

E como parte complementar deste artigo sobre a utilização dos Layers dentro do AutoCAD 2013 você pode acompanhar este processo nos vídeos abaixo. Lembrando que o primeiro mostra como trabalhar com os Layers pela interface nova do AutoCAD 2013 e o segundo vídeo mostra como utilizar os Layers pela interface clássica.

Trabalhando com Layers – Interface Nova

Confira nesta videoaula o modo mais indicado para trabalhar com layers na interface nova.

Trabalhando com Layers – Interface Clássica

Confira nesta videoaula o modo mais indicado para trabalhar com layers na interface clássica.

Espero que vocês tenha aproveitado os conceitos e as formas de se trabalhar com os Layers dentro do AutoCAD através deste artigo e aproveitem para aprender cada vez mais. Se tiver interesse em crescer na carreira de Design 2D e 3D, não deixe de fazer os cursos que o CADguru oferece nas áreas de AutoCAD3ds Max e Revit.

Sobre o autor:

Daniel Henrique Arantes Graduando em Engenharia Civil, com mais de 10 anos de experiência em AutoCAD, desde então trabalhando com projetos de desenhos, maquetes eletrônicas utilizando softwares como REVIT, 3ds Max e AutoCAD. Experiência profissional em escritório de Engenharia Civil e Arquitetura. Nas horas vagas, como hobby, utiliza o 3D Max Studio para fazer animações 2D e 3D.
Leia mais

Leia também

Comentários (0):